Quando eles demoram para crescer…

Geralmente vejo pais dizerem que não perceberam que seus filhos cresceram, que quando viram já estavam enormes – é natural da vida, faz parte da convivência, do olhar de pai e de mãe que protege e que zela pelo pequeno filho que cabe no colo até o fim da vida.

No caso do Guilherme tem sido diferente… Gui nasceu prematuro, de trinta e três semanas, com dois quilos apenas. Demorou para crescer, sempre foi pequenino, abaixo da média… Até dezembro do ano passado, já com nove anos, tinha a idade óssea de seis anos, pesava dezessete quilos e media 121cm.

Um ano atrasado na escola (propositadamente por escolha nossa), ainda assim era o menor da turma. Durante os meses de janeiro e fevereiro aconteceu um milagre e Gui foi parar nos 124cm e 24,5 quilos, ou seja, ganhou três centímetros e sete quilos e meio. Eu acompanhei cada milímetro, cada grama e cada elástico das roupas que se ajustavam em seu corpo. As bochechas rosadas, a disposição em brincar, aprontar e aprender…

Nada demais foi feito, apenas chegou o tempo dele, apenas tive paciência de esperar também o tempo de Deus. Acreditei, não o comparei com ninguém, sofri também, tive medo, faz parte do coração de mãe, mas o mais importante é que confiei e esperei.

Atualmente ele está na fase do alimento de verdade, come comida no almoço e na janta, tem preferência por arroz, feijão, brocolis, frango e batata palha, macarrão com molho e atum, panquecas com xarope de bordo, toma muita água. Adora refrigerante, mas não costumo ter em casa, então raramente toma. Ele não gosta de sucos, leite, iogurte ou qualquer outro tipo de bebida. Não gosta de doces, bolachas ou frituras. Ama bombons (come um por dia), adora pizza e batata ruffles, mas só dou quando me pede, geralmente aos finais de semana.

Como ele já teve seletividade alimentar severa eu não faço dieta restritiva do que quer que seja para ele, muito embora eu saiba que para sua saúde seja muito melhor que ele não coma glúten e nem açúcar. Tenho medo que ele volte a comer apenas uma coisa por vez, a vomitar, a emagrecer, enfim, coisas de mãe…

E vocês? Como estão indo com a alimentação de seus filhos? Comente aqui embaixo para mim. Não deixe de me mandar sua história para que a gente possa trocar experiências.

KenyaDiehl®️

Autismo é vida – me ame como sou

Um beijo muito carinhoso. Fiquem com Deus