Consultoria em Autismo

Por Kenya Diehl

Palestra na Universidade Regional de Frederico Westphalen. Creditos: Jornal Folha

Hoje em dia existem profissionais em tudo o que é área que se possa imaginar. Eu, particularmente, não tenho formação em nível superior e meu trabalho é com base quase exclusiva em minha vivência pessoal, em minha experiência de vida, após muita luta, preconceito, exclusão e uma luta incessante por me encontrar e me adaptar a esse mundo que por vezes parecia não ter sido feito para mim.

Após me tornar mãe e ver no meu filho um autismo diferente do meu, me deparei com o autismo severo, Gui chegou ao isolamento total, à ausência da fala, à inabilidade total de se comunicar por qualquer via, se limitou a gritos, se entregou ao desespero, parou de se alimentar e nos levou ao fundo do poço. Mas de lá foi resgatado, trazido para a realidade, chegou ao autismo leve e hoje, aos nove anos de idade é um menino comunicativo, que ama cantar, está alfabetizado, é tranquilo, feliz, altruísta, dorme bem, se alimenta bem, é gentil, educado, cordial, de bem com a vida, sem estereotipias ou agressividade. Por toda essa vitória nesses anos de convivência, por todo esse desenvolvimento tanto dele quanto meu, que desenvolvi meu próprio método, baseado no amor, na interação entre os nossos mundos, consegui resgatar muitas crianças de seus universos particulares para a vida e passei a atuar na área de consultoria, trazendo qualidade de vida para aqueles que não se prendem a métodos ou técnicas, mas acreditam no poder do envolvimento humano.

O consultor em autismo é um profissional com formação técnica em consultoria e aprofundamento na área de trabalho escolhida. No caso do autismo, é necessário que haja, além de estudos, experiência pessoal e empatia.

Meu nome é Kenya Diehl, sou autista diagnosticada ainda na infância, aos nove anos de idade e hoje tenho o diagnóstico de Autista Asperger (cid 10 – F84.5). Sou mãe de um menino autista de nove anos, que saiu da forma mais severa do autismo para a forma mais branda, muitas vezes imperceptível.

Sou escritora, palestrante, consultora em autismo, Colunista da Revista Ser Autista e blogueira com forte influência digital.

O trabalho de consultoria familiar voltada ao autismo consiste em:

– Uma análise do ambiente em que o autista está inserido;

– Identificação de possíveis falhas e pontos sensíveis que estão prejudicando o desenvolvimento ou a interação com os demais familiares;

– Incentivar a criatividade para adaptar a vida de todos os envolvidos com mais qualidade;

– Gerar desafios e metas a serem atingidas a curto, médio e longo prazo;

– Provocar a participação, o empenho e o comprometimento de todos;

– Instigar os familiares e o próprio autista a gostar da realidade em que vivem, com base na compreensão e aceitação, bem como no desenvolvimento de habilidades que tornem a vida mais satisfatória de maneira geral;

– Adaptação com a realidade individual de cada autista, levando em conta o seu desenvolvimento pessoal, limitações e potenciais, bem como a forma como cada envolvido pode ajudar.

O objetivo final é, em síntese, identificar o real problema e encontrar a melhor solução. Aproximar a situação atual da situação ideal, com base no respeito, na fidelidade e na confidencialidade da consultoria prestada.

Kenya Diehl

Autismo é vida – me ame como sou

Na luta contra o preconceito e a favor da verdadeira inclusão

Telefone e whatsapp: (51) 9 91984264

Email: contato@kenyadiehlautismo.com.br

Site: www.kenyadiehlautismo.com.br

Blog: www.autismonews.com

YouTube: Kenya Diehl

Instagram: @kenyadiehl

Facebook: Kenya Diehl

Despedida do Kauê e a briga política – parem de brigar e façam algo de bom!

Hoje, dia 11 de abril de 2019, mês da conscientização do AUTISMO, aconteceu uma “explosão” de brigas na comunidade autista sobre a discussão da aprovação, ou não, do projeto de lei 1217 que altera a lei Berenice Piana. Tantas pessoas aproveitaram para colocar seus monstros para fora, usaram o momento como desculpa para ofender, denegrir a imagem uns dos outros, dilacerar corações, fazer politicagem… Triste, lamentável e que, infelizmente, mostra o retrato da situação vergonhosa que vive nosso país.

Em meio a tudo isso recebo a mensagem que eu não queria receber: “nosso amiguinho Kauê acaba de falecer”. Ainda era de manhã, eu já estava no “olho do furacão” como diz Berenice Piana e de repente meu mundo parou. Kauê vinha lutando contra uma epilepsia de difícil controle, chegou a fazer algumas intervenções cirúrgicas, esteve internado diversas vezes, foram feitas campanhas para arrecadação de fundos para compra de remédios, cada um, a seu modo, ajudou como pôde. Mas após uma infecção generalizada nosso anjo partiu na manhã de hoje na UTI Pediatrica do Hospital Santa Cruz, na cidade de Santa Cruz do Sul/RS. Kauê também era autista e deixou família e amigos em situação de desespero e com um vazio na alma.

Enquanto as pessoas se ofendem vidas se perdem, almas puras deixam esse mundo. São vidas que perderam a luta, que estão fora da batalha, que subiram ao céu e se libertaram do peso dos pecados desse mundo. Cabe a nós, que aqui ficamos, fazer uma reflexão, olhar um pouco para nós mesmos, repensar nossas atitudes, fazer uma prece, nos doarmos mais, lutar mais pelo próximo do que apenas por nós próprios.

Sinto o egoísmo acabar com o coletivo, sinto o imediatismo acabar com o futuro. Vejo vidas se perderem. Não estamos em um jogo de uma tela moderna de iPhoneX, não tem como recomeçar, não essa existência, essa é única! A lição é dada uma vez!

Vai com Deus anjo Kauê! Olha por nós, se junte aos seus amiguinhos, junto de ti já conto vários, dói tanto, mas sei que vocês são puros, estão livres, a dor é toda nossa, que aqui ficamos com o peso do corpo humano. Te prometo honrar com minha palavra de lutar por um mundo melhor!

Autismo é vida – não vou desistir

Descanse em paz Kauê

Agradecimento especial à Luz Azul Autismo que lutou bravamente até o fim e além.

Abraço especial à Angélica e ao Lair, mãe e pai do Kauê, que eu possa tentar ao menos lhes dar o meu afeto.

Pedido especial aos políticos: parem de brigar e façam algo bom!

Kenya Diehl

Autista, Escritora, Blogueira, Palestrante, Consultora em Autismo e Colunista da Revista Ser Autista

Uma história que vai te fazer sentir vontade de “vencer os seus limites”

Conheci Marcos Davi numa dessas minhas idas e vindas em busca de acessibilidade, no meu “pacote” incessante de luta por um mundo mais humano, justo e inclusivo. Me encantei com sua história de vida, que é mais do que uma história, é exemplo de como a fé e a “teimosia” podem mudar o rumo de nossa história e inspirar muita gente a sair do lugar comum e ir para a realização dos seus sonhos.

Davi teve uma lesão na coluna que o deixou paralisado, algo fora do comum, que foi o acometendo aos poucos e que, com analgésicos, foi sendo adiado a busca por uma solução efetiva. Imóvel em uma cama e sem perspectiva de, sequer parar sentado sem apoio, ele reagiu, foi contra os prognósticos da medicina e hoje até consegue dar uns passos no andador. Ele é músico e responsável pelo lindo projeto batizado por ele mesmo de “Vencendo Limites”, que trata-se de um show em que músicos com e sem deficiência se reúnem e se apresentam superando as diferenças e mostrando os seus talentos.

O Show Vencendo Limites é uma proposição do Instituto Acessibilizar – ONG sediada em Porto Alegre  cujo trabalho foca-se na inclusão através da música.

Trata-se da reunião de músicos profissionais com deficiência:

Marcos Davi Graminho – compositor, voz, violão e idealizador da Banda, músico que tornou-se cadeirante em virtude de uma lesão medular;

Gabriel Schuck – teclado, arranjador e compositor – deficiente visual de nascença.

Músicos sem deficiência:

Marcio Desteffani – bateria; Robson Azevedo – baixo; Anderson Frota- guitarra.

Esse grupo forma a Banda Muitos Outros  que para o Projeto em tela traz como convidados os músicos  cariocas:

Luiz Felipe Oliveira Ferreira – baterista , deficiente visual que vem fazendo a abertura de shows importantes  do meio sertanejo como Maiara e Maraísa. Com músicas autorais como Barco a Vela e Meu Mundo , Quando a chuva cair, Riacho, Porto Beleza Rara etc.

A Banda Muitos tem no POP ROCK o estilo predominante de música que compõe seu repertório, revisando sucessos de outros artistas com arranjos próprios feitos pelos integrantes da Banda.

Por onde tem se apresentado encantam  a plateia e além da música bem feita dão um show de inclusão, que é a proposta âncora do Projeto da Banda, de modo a  pautarem a deficiência apenas como uma característica dos integrantes que a possuem e não como algo incapacitante.

Uma vida recheada de amor é uma vida que se faz valer a pena cada segundo. Esse nobre sentimento parte inicialmente de nós, para depois poder retornar. E é exercendo a humildade que ele vem. Porque amar não é fazer “coisas” pelas pessoas, o amor está em não julgar, em se doar, se dedicar, não trair, não maldizer…

A pureza do amor transforma, cura, encoraja e traz a maior de todas as riquezas, que é a recompensa de ter consigo a gratidão por todas as coisas da vida. E quando falo em gratidão, não me refiro a simplesmente dizer “obrigado”, mas sim em ser grato e confiante independentemente do rumo que a vida siga sem que possamos controlar.

Trabalhe as suas emoções de modo que consiga esculpí-las para o bem e se esforce para que a sua beleza exterior seja apenas reflexo do que há de mais lindo em você, na sua essência e em seu coração.

Se inspire nessa história, nesse projeto, nesse exemplo de vida, de fé, de coragem e nesse testemunho de vida de Deus.

Juntos somos mais fortes!

KenyaDiehl®️

Autista, Escritora, Blogueira, Palestrante, Consultora em Autismo e Colunista da Revista Ser Autista.

Evento com palestrantes autistas em Jundiaí SP

No dia seis de abril de 2019 aconteceu o evento sobre autismo e sexualidade na cidade de Jundiaí/SP e contou com a participação da nossa queridissima Fatima de Kwant, minha mãe do coração e especialista em autismo. Além dela estiveram palestrando eu, Kenya Diehl, Nando Castro, Rodrigo Tramonte, Michele Malab, Roseli Claro e Leticia Soares, todos autistas.

Tudo ocorreu conforme o cronograma, com exceção de minha Palestra que teve problemas técnicos e não pôde ser apresentada, então tive que me ater à minha história de vida e falar unicamente com o coração.

Às vezes as coisas não saem como queremos, nos sentimos perdidos, quase fracassados, mas não podemos esquecer de que a vontade soberana será sempre a de Deus Pai. Então, se fizemos de tudo o que esteve ao nosso alcance para que as coisas dessem certo e ainda assim não deram é porque o nosso certo na verdade era errado.

Precisamos usar cada acontecimento como oportunidade de aprimoramento pessoal. O que fazer para nos prevenir? Qual lição podemos tirar dos contratempos inevitáveis da vida?

Olhar para frente, aceitar a missão de Deus, sentir a presença do Criador e passar adiante o que lhe foi confiado. O dia foi especial e todos nós, desde o bebezinho de colo até a pessoa mais idosa presente no recinto cumprimos nossa missão e encaixamos perfeitamente as peças do quebra-cabeças deste dia tão especial.

Parabéns a todos os envolvidos, a todos os palestrantes e a todos os ouvintes. Saímos melhores do que chegamos e seguimos preparados para continuar conscientizando, vencendo nossas barreiras, superando nossos limites e adaptando a nossa realidade da melhor forma possível cada dia mais, cada dia melhores e com a certeza de que iremos conseguir um mundo mais humano, justo e inclusivo.

KenyaDiehl®️

Autista, Escritora, Blogueira, Palestrante e Colunista na revista Ser Autista.