O autismo e a decepção

Todos nós, seres humanos, quando sofremos uma decepção, somos tomados por sensações no mínimo desagradáveis, sendo que cada pessoa tem uma maneira totalmente particular de sentir e vivenciar esses momentos dolorosos de nossas vidas.

Nós autistas podemos não sentir dor, não perceber coisas simples e também não sermos tocados com algo que para a maioria seria o fim do mundo. Somos feitos de extremos.

Mas e quando a decepção acontece de verdade? Ai ela pode vir de forma muito intensa, assim como tudo o que nos abate, sentimos com mais intensidade, escutamos os sons mais altos, enxergamos as cores mais fortes, as dores nessas horas podem se tornar insuportáveis.

Entramos no que a maioria conhece com o nome de ostracismo, fugimos, nos isolamos em nosso mundo interior e não queremos falar com ninguém. Temos medo de ferir quem amamos, sentimos vontade de morrer, tudo perde o sentido. Não conseguimos entender como pode a lei do universo – de dar e receber de volta exatamente aquilo que se doou – não funcionar conosco que somos tão puros e sinceros de coração.

Depois de chorarmos, de colocarmos para fora nossa dor, buscamos alguém que nos compreenda, que nos faça olharmos para nós mesmos, mas dessa vez de fora para dentro, nos reorganizamos e conseguimos entender que a cada perda saímos mais fortes para buscar novos ganhos.

O autismo não é um limitador, não merecemos ser excluídos. Não queremos vantagens, nem privilégios, queremos respeito, inclusão, amor e um espaço digno já sociedade.

Vem comigo! Vem pro meu mundo. Vem ser autista!

KenyaDiehl®️

Autismo é vida – me ame como sou

AutismoMake

Faça com amor, faça como um autista!

1 thought on “O autismo e a decepção”

Leave a Reply