Nós, autistas, não somos raros…

Eu estou vendo o mundo – ver o mundo – com os meus olhos pela primeira vez.

Eu fico triste pelas pessoas estarem passando por isso dessa forma, através da imposição de um vírus, mas é interessante ver uns dizendo aos outros, na cara, que não podem se visitar, não tendo que dar beijinhos em quem não sente vontade e também tendo que manter uma distância de um metro e meio entre um carrinho e outro no supermercado…

Veja bem, não é antipatia nem nada, mas saber que ninguém vai tocar em você para falar e também que vão tossir e espirrar em seus próprios cotovelos é algo que conforta bastante o coração da gente.

Atualmente todos estão se cuidando mais, tomando mais banhos, higienizando seus celulares, não entrando em casa com os calçados que vem da rua, isso é o que deveria ser feito sempre. Estou tendo a oportunidade de escutar os pássaros, os grilos, o vento e também vendo os pais brincando com as crianças nos quintais de casa, afinal, ninguém aguenta ficar tanto tempo parado com o celular na mão.

Pelo meu olhar autista me parece que uma humanidade autista se faz mais organizada, sincera e com menos frescuras. Todos têm coragem de dizer o que pensam, defendem suas verdades como se elas fossem as únicas e não fazem nada por mera educação. Cada um faz aquilo que acredita ser o melhor, sem ferir o seu próprio senso de justiça e igualdade.

Que bom se tudo ficar ao menos um pouco parecido com isso depois que tudo passar, com mais ordem, mais honestamente, mais amor ao próximo, mais verdades sendo ditas e menos caras feias para a realidade.

O silêncio das rodovias, o vazio das festas, as portas fechadas dos shoppings retratam um isolamento invisível do qual o autista faz parte e que só fica em evidência quando ele sofre bullying ou quando vira notícia por algum dom extremo que algum autista raro tem.

Mas nós, autistas, não somos raros, somos centenas, somos milhares de invisíveis que acompanham o mundo vendo a humanidade se degladiar, de boca calada, mas de olhos e ouvidos atentos, apenas esperando a oportunidade do dia em que alguém irá querer nos ouvir, nos seguir, nos acompanhar…
KenyaDiehl®️
Autismo é vida – me ame como sou
AutismoMake