O autismo

Às vezes me sinto tão mal nesse mundo, me sinto perdida, cansada, é como se nada fosse real e as coisas acabam tendo um impacto desproporcional sobre os meus sentimentos. O que seria algo bobo para qualquer pessoa, para mim é como uma facada, uma dor tão grande que chega a ser paralisante.

Meu juízo de valor é diferente, meus princípios sobre as pessoas, os animais e a vida parecem não ter um sentido, uma lógica aceitável e acabo vendo o mundo passar enquanto corro, mas não consigo alcançar ninguém, praticamente não saio do lugar…

Sou forte como uma rocha, porém sensível como um algodão. Não quero parar de fazer o bem, mas quero aprender a me proteger, a ter equilíbrio e a seguir em frente sem sentir a dor do mundo. Porque ter compaixão nos torna mais humanos, mas trazer para si a dor do outro faz com que tenhamos a mesma fragilidade e necessidade de ajuda ao invés de termos forças para ajudar.

Hoje entendo que o que nos mantém, de fato, vivos não é a vontade de não morrer, mas sim o desejo intenso de querer viver!
𝑲𝒆𝒏𝒚𝒂 𝑫𝒊𝒆𝒉𝒍
🅐🅤🅣🅘🅢🅜🅞🅜🅐🅚🅔

Deixar uma resposta