Ao vivo e a cores… Modernidade…

Estamos acostumados a ouvir falar sobre pessoas vencedoras ou sobre pessoas perdedoras. Somos cobrados diariamente a sermos excelência em tudo… Somos medidos pelo corpo que temos, pelo carro que dirigimos, pela roupa que usamos, pelo número de seguidores que mantemos… Os sorrisos nem sempre são sinceros, os abraços muitas vezes são dados quase que despercebidos, automáticos, por força do hábito como se fossem um simples “olá”…

Já não se escutam mais corações batendo ao se encostarem, não se tem mais tempo para beijos apaixonados sob o céu estrelado… Todos correm contra o tempo, na mesma velocidade em que a rede social lança uma nova modalidade de “stories”… E assim a vida vai sendo estabelecida de acordo com a oscilação do wifi…

Sou do tempo antigo, da época em que “olho no olho” valia mais do que carimbo autenticado em cartório… Da época em que marcávamos local e horário e não tínhamos como desmarcar, porque não havia como avisar. Os bilhetes eram carregados de emoções, nos belos traços trêmulos apaixonados dos papéis de carta…

Sou fã da tecnologia, mas me incomoda muito ver que a maioria das pessoas não sabe usá-la e esquece-se que o essencial é percebido quando estamos de olhos bem fechados…

Que possamos ser meros normais dentro de nossa própria existência. Que não sejamos nem muito e nem pouco, mas que sejamos gigantes o suficiente para vencermos a passagem do tempo sem nos esquecermos de quem somos – ao vivo, a cores e sem filtros ou marcações…
KenyaDiehl®️
Autismo é vida – me ame como sou
AutismoMake
Faça com amor, faça como um autista!