O dia das crianças na casa do autista…

Se você está lendo esse texto, provavelmente é mãe, pai, familiar ou terapeuta de uma pessoa com autismo e eu sei o quanto é angustiante passar por essas datas especiais como o dia das crianças, este que é um dia que mexe com as nossas emoções e que gera grande expectativa para crianças e adultos.

Os pais revivem a infância através da alegria de seus filhos ao descobrirem novas aventuras com brinquedos dos mais variados tipos. Nestes momentos, as crianças pedem, fazem planos, querem coisas… Os pais negociam, fazem o possível para realizar os sonhos de seus pequeninos…

Mas e quando a criança é autista e não gosta do que a maioria gosta? Quando ela entra em crise ao ver luzes e botões? Ou simplesmente quando não liga para brinquedos e se atem apenas aos seus interesses restritos?

Vale lembrar que a data é para comemorar o Dia das crianças e não o dia dos pais ou das mães e, portanto, é o dia de fazer os pequenos felizes. Se a alegria de sua criança está em colecionar caixinhas de pastas de dente, ventiladores, tampas de potes ou coisas das mais variadas, simplesmente faça a alegria dela nesse momento e a deixe ser feliz.

Terapia a gente faz todos os dias, na sala da terapeuta, nas atividades da vida diária, nos treinos sobre viver em sociedade. Mas não podemos esquecer que a infância é sagrada, logo ela acaba e não volta nunca mais!

Não perca tempo comprando brinquedos para satisfazer as estantes dos quartos, preocupe-as em fazer seus filhos felizes e vivam esse momento sem pensar no que os outros pensam porque na realidade o verdadeiro valor da vida está em viver e não em assistir os outros viverem tentando se encaixar em um padrão que nunca fará sentido…

O que faz sentido é amar incondicionalmente sem julgar e sem medo de julgamentos.

Feliz dia das crianças!

𝑻𝒆𝒙𝒕𝒐: 𝑲𝒆𝒏𝒚𝒂 𝑫𝒊𝒆𝒉𝒍

KenyaDiehl®️

Autismo é vida – me ame como sou

AutismoMake

Faça com amor, faça como um autista!